terça-feira, 24 de dezembro de 2013

PROJETO MISSIOLÓGICO : CABO VERDE:



 
 
 
 
 

PROJETO MISSIOLÓGICO: JESUS NA CAUSA
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

TOUROS/RN
DEZEMBRO-2013
 

 
 
 
PROJETO MISSIOLÓGICO: JESUS NA CAUSA
 
 
 
Alevilson da Silva Tavares
Isabel Graciano dos Santos
Iziara Florêncio da Silva
Jacira Graciano dos Santos
Sandra Régia Soares da Silva
 
 
 
    Trabalho exigido pelo Profº Ivanildo Barros Dias com requisito da Disciplina de Missiologia.
 
 
 
 
 
TOUROS/RN
DEZEMBRO-2013
INTRODUÇÃO
Este trabalho busca elencar uma visão panorâmica sobre um estudo de um país, que passa ser objeto de um estudo amplo sobre o quadro evangelístico e as perspectiva de evangelismo nesse campo. Quais os mecanismos podem serem cruciais para se inserir-se neste, primando por fatores regionais como cultura, economia, política, educação e religião.
Neste estudo será destacado as portas de entrada ou pontos extremos perpassando nas forças primárias e secundárias. Sendo de fundamental importância se deter sobre a postura do evangelizador.
O estudo foi iniciado com uma análise sobre países com deficiência no processo de evangelismo. Assim foi sendo filtrados e selecionados os países que compõe a janela 10-40. Por consenso resolveu-se deter-se no continente Africano e por questões de familiaridade com a nossa língua, Cabo Verde ficou sendo o nosso objeto de estudo.
Cabo Verde é um arquipélago de ilhas de origem vulcânica, situado ao oeste do Continente Africano, que foi descoberto pelos  portugueses no século XV. Quando os primeiros portugueses chegaram, foram encontradas umas ilhas vulcânicas desabitadas, com abundante vegetação e um inacreditável mar azul.
O ano de 1462 é a data que marca a historia como o ano da chegada dos primeiros colonos, embora não se descarte a hipótese de os árabes aqui terem chegado antes. O primeiro desembarque teve lugar na Ilha de Santiago, tendo então sido fundada a Ribeira Grande. Na sequência da colonização, a economia começou a girar em torno das plantações de cana de açúcar.
               Desde a sua colonização pelos portugueses, que estas ilhas tiveram um importante interesse estratégico. No século XVI, este arquipélago tornou-se num ponto de escala dos
barcos portugueses, devido à sua perfeita situação geográfica. Desta forma, transformou-se num local onde a agricultura e a colonização, bem como os ataques piratas estiveram na ordem do dia. À volta do século XVIII, a agricultura começou a decair e os cabo-verdianos começaram a emigrar para outros lugares. Angola, Moçambique, Brasil e Senegal foram os principais lugares escolhidos. Já no princípio do século XIX, o arquipélago decaiu ainda mais, tendo a fome e a corrupção sido os principais motivos.
               No século XX, a história começou a ser mais favorável a Cabo Verde. Em 1951, Cabo Verde fazia parte de
Portugal como Província do Ultramar, mas a sua ambição era maior. Alguns anos mais tarde, a Guiné (também portuguesa, nessa altura) e Cabo Verde fazem sentir os seus sentimentos independentistas, e em 1961 começou a guerrilha. Com a queda do regime colonial em 1974, Cabo Verde, conseguiu, como consequência, em 1975, a sua independência.
A primeira coisa que foi feita na sequência da Independência, foi a reflorestação das ilhas, diversas reformas agrárias, a expansão das zonas de floresta e a promoção da pesca para auto-abastecimento, uma vez que os longos períodos de seca impediam o crescimento da agricultura.
             Na década de 80, as colheitas reduziram-se, a dívida externa era de cem milhões de dólares e a fome fazia com que o país dependesse da ajuda de países estrangeiros. Em princípio dos anos 90, a situação pareceu melhorar. Os últimos anos da década de 80 e os primeiros da de 90 foram momentos de auto-abastecimento e de procura de soluções para os problemas, com planos de desenvolvimento que conseguiram reflorestar algumas zonas, conseguindo alimentos sem necessidade de recorrer às importações.
             Foi em meados dos anos 90 que a palavra turismo começa a soar com alguma importância neste país, Em finais dos anos 90 e nos primeiros anos do novo milênio, começam a surgir diversas infra-estruturas, estradas, centros de
saúde, investimentos privados, o que fez aparecer o atual Cabo Verde, um importante destino turístico, um arquipélago de sonho.
A primeira constituição cabo-verdiana previa a futura unificação com a Guiné-Bissau, mas um golpe nesse país em 1980 acabou com os planos de união política dos dois países. A Constituição não democrática de 1981 tornou o PAICV - Partido Africano para a Independência de Cabo Verde, sucessor do PAIGC, o único partido político do país. A política de não-alinhamento foi seguida pelo primeiro presidente do país, Aristides Pereira. Multipartidarismo e democratização: Reformas políticas foram estabelecidas em 1990, em decorrência de pressões por parte de círculos académicos e da Igreja, que possibilitaram a primeira eleição presidencial livre no país, em 1991. Foram eleitos Carlos Veiga e António Mascarenhas Monteiro, pelo MpD - Movimento para a Democracia, para primeiro-ministro e presidente, respectivamente. O sistema multipartidário foi oficializado na Constituição de 1992.
A Situação econômica de Cabo Verde  gira em torno da agricultura  mas demnada um conhecimento amplo e diversificado de como ocorre o processo. Alguns itens precisam serem considerados, como: Rendimento per capita: US$ 850, em 1992; produto Nacional Bruto: US$ 356 Milhões (a preços de1992); taxa de Crescimento Anual do PNB: (a preços constantes de 1980); moeda: Escudo Caboverdiano : Cerca de 85$00 ECV (Escudos de Cabo Verde) = US$ 1.00; taxa Anual de Inflação: As alterações de preços em Cabo Verde são influenciadas por três fatores: a) a Política Monetária, b) a alta dependência sobre os produtos importados e c) a produção agrícola irregular; Sistema Tributário: As taxas cobradas pelas entidades podem ser pagas voluntariamente, a prestações, através de contas ou coercivamente. O sistema tributário inclui taxas, direta e indiretamente. As taxas diretas incluem a taxa de trabalho, a taxa complementar, a taxa industrial, a taxa de propriedade e as taxas municipais.
O Sistema Financeiro de Cabo Verde fica configurado seguindo os seguintes viés: Banco de Cabo Verde: que funciona como banco central, Banco Comercial do Atlântico: (BCA), estabelecido em 1993, Caixa Econômica de Cabo Verde: (CECV), Companhias de Seguros: Garantia e IMPAR, Serviço de Segurança Social (INPS), Fundo de crédito rural (CCR).
A economia se concentra largamente Rural/Agrária e sistema de serviços econômicos misto: Negócios Privados (Domésticos e Estrangeiros); Cooperativas e micro-empresas; Paraestatal e empresas semi-estatal (muitas foram reestruturadas e privatizadas). O investimento estrangeiro e os códigos industriais favorecem o investimento privado e o desenvolvimento de “joint-ventures”. A PROMEX “one-stop-shop” oferece assistência aos investidores estrangeiros e promove as exportações. Exportação: Banana, peixe (peixe fresco, congelado e enlatado, sal, produtos farmacêuticos, calçados, confecções e serviços. Importação: Alimentação (milho, arroz, manteiga, leite em pó, óleo vegetal ), construção e materiais para construção, móveis, produtos de óleo, máquinaria, têxteis. Principais parceiros comerciais: União Européia ( França, Alemanha, Holanda, Portugal, Espanha e Suécia) Oportunidades de investimento estrangeiro: Turismo, hotéis, pesca desportiva, surf, vela, indústria pesqueira (pesca, processamento, conserva e congelamento), e confecções. Recursos Naturais: Peixe, Sal, Pozolana. Agricultura: Banana, milho, feijão, cana de açúcar, café, frutas, legumes. Indústria: confecções, calçados, móveis, produtos metálicos, bebidas, peixe e produtos derivados, sal, construção civil, materiais de construção, reparação naval.
Segundo o Site http://cabo-verde.costasur.com/pt/dados-de-interesse.html alguns dados gerais de Cabo Verde podem serem sintetizados da seguinte forma:
DADOS GERAIS
NOME
República de Cabo Verde
CAPITAL
Praia (63000 habitantes)
POPULAÇÃO
420000 habitantes
LITORAL
965 km
PRINCIPAIS CIDADES
Mindelo, Praia, Tarrafal
MOEDA
Escudo Cabo-verdiano
LÍNGUA
Português. Também se fala inglês.
DESIGNAÇÃO DOS HABITANTES
Cabo-verdiano
FORMA DE GOVERNO
Democracia
NÚMERO DE ILHAS
14
VISTO
Necessário para todo o mundo
RELIGIÃO
Católica. Também há protestantes.
AEROPORTO INTERNACIONAL
Ilha do Sal.
PRINCIPAL DESTINO TURÍSTICO
Ilha do Sal.
 
 
DOENÇAS TROPICAIS
Não existem doenças tropicais conhecidas. Como precaução, recomenda-se beber água engarrafada.
VACINAS OBRIGATÓRIAS
Nenhuma

 
DESENVOLVIMENTO
Praia (Cabo Verde)
A cidade da Praia é a capital de Cabo Verde, país-arquipélago no Oceano Atlântico, a oeste do Senegal. Está localizada a sul da ilha de Santiago. É também sede do Município do mesmo nome. Tendo as segintes coordenadas 14° 55' 15" N 23° 30' 30" O
CIDADE DE PRAIA
 
 
 
 
 
Figura 1: Vista áerea  de Praia-Cabo Verde
 

                        
 
A Praia é a maior cidade de Cabo Verde. Tem um porto comercial, por onde é exportado café, cana de açúcar e frutas tropicais. Possui igualmente uma importante indústria pesqueira.
Como cidade capital, abriga no bairro chamado Plateau, promontório à beira-mar, edifícios públicos e outras construções de importância, como o Palácio Presidencial, construído no fim do século XIX para ser a residência do governador português. Contam-se ainda a antiga Câmara Municipal, prédio com fachada clássica e uma torre central quadrada, a Igreja Nossa Senhora da Graça, também no estilo classicista, o Museu Etnográfico e o Monumento de Diogo Gomes, navegador português e descobridor da Ilha de Santiago em 1460.
História
Figura 2: A grande vista do Plateau
A vila da Praia de Santa Maria surgiu em 1615, quando se deu o início do povoamento de um planalto situado perto de uma praia (praia de Santa Maria) que oferecia boas condições para navios. Inicialmente utilizada como porto clandestino (para que não se pagassem as taxas aduaneiras na então capital, Ribeira Grande) a localidade foi progressivamente adquirindo características de uma vila com a gradual fuga das populações da Ribeira Grande, aquando do declínio desta última. A passagem oficial da capital de Ribeira Grande para Praia de Santa Maria deu-se em 1770
Ao longo da História de cabo Verde houve sucessivas propostas de transferências da capital de Praia para outros sítios, sendo a última a proposta da mudança para Mindelo durante o séc. XIX. As sucessivas administrações portuguesas nunca mostraram interesse (económico ou político?) em mudar a capital de Cabo Verde. Através de um decreto de 1858, com a elevação do estatuto de vila para cidade, Praia ficou definitivamente a capital de Cabo Verde, concentrando as funções de centro político, religioso e económico.
Durante a administração portuguesa, só o planalto central (chamado Plateau) é que era considerado como parte integrante da cidade, digno de ser urbanizado e concentrando os serviços. Foi só depois da independência que se aceitou a realidade que a cidade da Praia já englobava também todos os bairros circundantes. Depois da independência a cidade sofreu um boom demográfico, e em trinta anos quadruplicou a sua população, recebendo movimentos migratórios de todas as ilhas, e contribuindo para que a ilha de Santiago passasse a ter metade da população de Cabo Verde, para que o Município da Praia passasse a ter um quarto, e para que a cidade da Praia passasse a ter um quinto.
Geografia
Figura 3: Ilhéu de Sta Maria Visto do  miradouro Diogo Gomes
Geograficamente, Praia pode ser descrita como um conjunto de planaltos e os respectivos vales circundantes. Esses planaltos têm geralmente a designação de achadas (Achada de Santo António, Achada de São Filipe, Achada Eugénio Lima, Achada Grande, Achadinha, etc.), mas o planalto que constitui o centro da cidade é designado coloquialmente de Plateau. A ocupação urbana é feita sobretudo sobre esses planaltos e ao longo dos vales (ribeiras). Há que contar ainda com o ilhéu de Santa Maria, à frente da praia com o mesmo nome, hoje em dia mais conhecida por Gamboa.
Figura 4: Cidade de Praia
Durante muito tempo, só o Plateau é que era considerado como sendo a cidade, sendo os outros bairros relegados à condição de subúrbios periféricos, apesar de sempre ter havido uma relação estreita entre o Plateau e os outros bairros (movimentos humanos, trocas de bens e serviços, etc.). É por esse motivo que praticamente só o Plateau é que usufruiu de uma urbanização adequada com infra-estruturas próprias. Os restantes bairros desenvolveram-se organicamente, de um modo um pouco caótico.
Figura 5: Bairro ao Norte da Cidade de Praia

 
 
Depois da independência é que se passou a considerar a cidade da Praia como sendo o Plateau e todos os bairros circundantes. Procurou-se uma descentralizar e munir toda a cidade de infra-estruturas adequadas. Embora os planos directores de urbanização sejam relativamente recentes, eles já se encontram em curso, e prevêem a expansão2 da cidade, a norte, na Achada de São Filipe, e a oeste, em Palmarejo. Mesmo assim, o Plateau continua a ser um pólo de atracção dos movimentos diários no seio da cidade, não por ser o bairro maior (cabendo isso à Achada Grande) nem por ser o mais populoso (cabendo isso à Achada de Santo António), mas por ser considerado pelos habitantes como o centro comercial e laboral da cidade. Apesar das tentativas de descentralização, a população continua a considerar os bairros periféricos ao Plateau como zonas-dormitório ou zonas industriais.
Demografia
De acordo com dados de 2008, a população da cidade da Praia era de 124.661 habitantes.
População da cidade da Praia (Cabo Verde) (1990–2005)3
1990
2000
2005
2008
61644
94161
111500
124661
 
Economia
 
A nível económico a Praia vive do sector secundário mas sobretudo do sector terciário.
Existem algumas indústrias, localizadas na costa (indústria pesqueira) ou bairros periféricos (indústrias transformadoras de produtos agrícolas, indústrias de material de construção civil, etc.)
Figura 6: Gamboa vista do Plateau
Mas as principais actividades económicas da Praia pertencem ao sector terciário. Para além de actividades ligadas à administração e governação (autárquica e nacional), existe extenso comércio, serviços (saúde, educação, turismo, restauração e hotelaria, função pública, etc.) e outras actividades de carácter liberal.
A nível de transportes, Praia possui uma rede de transportes públicos urbanos, um porto e um aeroporto. O porto da Praia é a principal porta de saída de produtos de toda a ilha, e a principal porta de entrada de produtos de grande porte. O novo Aeroporto Internacional da Praia, que veio substituir o antigo aeroporto Francisco Mendes, assegura ligações domésticas e internacionais.
Cultura
Em termos culturais, a cidade da Praia contrasta nitidamente com o resto da ilha de Santiago. Enquanto que o resto da ilha, por ter sido a primeira a ser habitada, mantém características conservadoras e tradicionalistas, a Praia, por ser cidade-capital, possui características mais cosmopolitas. Na cultura, Praia absorve facilmente influências das outras ilhas, devido à migração interna inter-ilhas, mas também influências do estrangeiro devido à concentração de população de origem estrangeira e devido a facilidades de comunicação com o exterior. Para se encontrar elementos culturais «autênticos» de Santiago, é mais fácil quanto mais se afasta da Praia.
Exactamente por ser cidade-capital, por ter facilidades de comunicação com o exterior e maior concentração e diversidade de pessoas, Praia é um dos sítios mais privilegiados de Cabo Verde para solicitações de carácter cultural.                         Ocorrem ocasionalmente actividades culturais como lançamentos de obras, exposições, espectáculos, tendo para isso infra-estruturas de apoio à cultura, como por exemplo, várias salas de espectáculos, o chamado Palácio da Cultura, o Museu Etnográfico e o Arquivo Histórico Nacional. Praia conta também com diversas infra-estruturas para diversão nocturna.
Educação
Figura6: Museu Etnográfico                                                               Figura 7: Quartel Jaime Mota (1826)
 
A cidade da Praia albergou a primeira escola primária do arquipélago, chamada então Escola Central (actualmente conhecida por Escola Grande). Durante muito tempo foi a única escola primária a existir na cidade da Praia. Só a partir da década de 1960 é que começaram a ser erigidas outras instalações para ensino primário, noutras bairros à volta do Plateau e noutras localidades da ilha. Em 2006, Praia contava com mais de 304 escolas de Ensino Básico.
Praia também foi o primeiro sítio em Cabo Verde onde se instituiu o ensino secundário, com a criação do Liceu Nacional em 1861. No entanto, as autoridades portuguesas não estavam interessadas em implementar o ensino secundário em Cabo Verde, e o liceu acabou por fechar devido a dificuldades, passando o ensino secundário ser, posteriormente, tarefa do Seminário de Ribeira Brava, e mais tarde do liceu em Mindelo. Só em 1960 é que Praia voltaria a ter ensino secundário, primeiro instalado num edifício à frente da Praça 12 de Setembro, e depois em edifício próprio. Com a massificação do ensino em Cabo Verde na década de 1990, vários edifícios dedicados ao ensino foram construídos em Cabo Verde, e Praia contava em 2006 com 94 liceus.
Locais de interesse
·         Vistas panorâmicas:
o    Cruz do Papa (vista sobre a praia de Quebra Canela)
o    Miradouro Diogo Gomes (vista sobre o Ilhéu de Santa Maria)
·         Edifícios e monumentos:
o    A antiga Câmara Municipal
o    Igreja de Nossa Senhora da Graça
o    Palácio Presidencial
o    Palácio da Assembleia
o    Capela de S. António no bairro Achada Santo António
o    Quartel Jaime Mota (1826)
o    Museu Etnográfico, fundado em 1997
·         Rua
o    Avenida Cidade de Lisboa
1.     FORÇAS PRIMÁRIAS
             Fazer Reconhecimento do campo a qual vai trabalhar. Devemos visitar diferentes lugares, como praças, mercados públicos procurar conhecer os costumes e cultura da cidade a qual vamos residir. Aprender sobre as leis e os requisitos básicos para viver e trabalhar no país. Como fez Moisés a mando do senhor.
            Números 13:1,2; 17-20 disse o Senhor a Moisés:
 
Envia homens que espiem a terra de Canaã, que eu hei de dar aos filhos de Israel, de cada tribo de seus pais enviarei um homem, sendo cada qual príncipe entre eles... Enviou-os, pois, Moisés, espiar a terra de Canaã, e disse-lhes: Subi ao Neguebe e penetrai nas montanhas. Vede a terra, que tal é, e o povo que nela habita, se é forte ou fraco, se pouco ou muito. E qual é a terra em que habita, se boa ou má, e que tais são as cidades em que habita, se em arraiais, se em fortalezas. Também qual é a terra, se fértil ou estéril, se nela há matas ou não. Tende ânimo e trazei do fruto da terra. Eram aqueles dias os dias das primícias das uva.
 
Antes da batalha, no exército ser iniciada, uma equipe de reconhecimento é enviada para investigar as forças do inimigo e fazer uma figura clara do país que vai ser invadido. O reconhecimento é um estudo tático desenhado para adquirir tanta informação quanto possível antes de iniciar um ataque.           
Figura 8: Logomarca sugerida
O apóstolo Mateus aponta uma frase célebre de Jesus Cristo Quanto a Missão da Igreja aqui na Terra. A frase, mandamento ou missão é “"Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;"  (Mateus 28 : 19). Assim ato de fazer discípulos demanda o ensino sistemático da Palavra de Deus para que se possa levar o homem ao pleno conhecimento da verdade. Sabendo-se que exitem várias vias para que isso possa se desenvolver. A criação da logomarca será fundamental nesse processo.
Para iniciar uma obra evangelística numa comunidade que já dispõe do evangelho entende-se que é preciso um entendimento com o público evangélico já existente. Isso por estarmos considerando que o projeto aqui descrito será desenvolvido por missionários enviados pela Assembleia de Deus, órgão religioso já presente no país. Então  conversas de socialização com a liderança eclesiástica presente na cidade de Praia, objeto de estudo, para evitar conflitos desnecessários. Feito esse processo inicial de socialização é hora de parte para a semeadura.
Aproveitando a aparente abertura de espaço para conhecimento de Deus, um mecanismo que inicialmente ser implantado será a distribuição de bíblias em escolas, praças e praias em meio as rodas de conversas e palestras de grupo. A entrega de literatura como “iscas¹” para chamar o leitor para um estudo sistemático das escrituras fica sendo outro pontapé inicial.
Um ponto a ser explorado com veemência será a praça 12 de setembro, ponto onde as pessoas costumam antes do entardecer passar horas em grupos de conversas e namoros e momentos familiares. Neste ponto um momento de evangelismo das 16:00 hs será implantado uma rádio ao ar livre, em alguns dias da semana que melhor se apropriem, sendo três vezes por semana, afim de incutir no cotidiano das pessoas que  freqüentam a ________________________________________________
¹ linguagem figurada que faz alusão a Atrativo utilizado para peixes
praça a necessidade de suprir a sede espiritual pela Palavra de Deus. Bem como será nesse momento onde ocorrerá uma aproximação direta com o público. Havendo explicação sobre o objetivo dos trabalhos, horários dos cultos e todo o organograma da igreja.
Havendo conversões pessoas jovens, senhoras, senhores e crianças será proposto um “recrutamento” com fins estudo sistemáticos, em grupo, com data, hora e locais predeterminados. Aqui já haverá a implantação simultânea da escola Bíblica Dominical ou em outro dia da semana que melhor se ajuste dentro do contexto sócio-cultural do público. Nestes estudos o estímulo a geração de discípulos será enfaticamente exposto.
Um mecanismo a ser bastante enfatizado será as visitas a idosos, pessoas com deficiências múltiplas e eventos sociais a fim de marcar presença e gerar assim marketing sobre a missão que esta sendo desenvolvida e o respeito dentro do grupo social a que se pertence.
Para as crianças buscar-se-á através de um planejamento minucioso uma programação que além de atrair, faça-o permanecer e gerarem discípulos. Para tanto a peças teatrais histórias bíblicas, premiação com brindes, lanches para aqueles que se envolverem com a programação. A logomarca do projeto será imprescindível para confecção de camisas, pois estas serão a via pela qual poderá se entrar mais facilmente e diariamente nos lares.
 
2.    FORÇAS SECUNDÁRIAS
 
O processo de socialização e confiança do grupo é algo que demanda tempo e estratégias especificas para cada comunidade em que se quer inserir. Na ação de evangelizar não dar pra ser diferente. Não o fato de querer evangelizar que garantirá de forma segura, imediata e ampla a inserção de um agente “estranho” dentro de uma comunidade populacional. Alguns itens devem serem considerados já que se busca mas que infiltrar-se no meio se pretende viabilizar mudança ao meio. E toda mudança reflete certa rejeição em primeiro plano. É preciso ser didático, centrado, estratégico e hábil, se sequer alcançar vidas com o poder do Evangelho da Paz.
Pensar na força que cerceia o processo de evangelismo pode ser determinante na aceitação dentro do grupo.
            No “Projeto Missilógico: Jesus na causa” esse ponto do projeto é visto como ponto forte da missão. É hora do soldado se camuflar e entrar no território inimigo sem causar espanto nem reações adversas da comunidade em que se estar inserindo-se. Portanto a solidificação e valorização do currículo do missionário são importantes ferramentas na abertura do leque de oportunidades onde s quer atuar.
Como a cidade de Praia é uma cidade litorânea pensou-se nos pescadores artesanais como porta de entrada a citar como princípio de tarefa estar a criação da Associação Jesus na causa onde objetivará o fornecimento de cursos de capacitação e aperfeiçoamento desse público praiano. Após análise da produção, armazenamento e escoamento do pescado; e, a identificação dos apetrechos de pesca, a segurança do trabalho e previdenciária a Associação, buscará aponta possibilidade de despesca e escoamento com uma lucratividade maior. Aqui o reaproveitamento das partes desperdiçadas do pescado também será objeto de estudo.
Outros fatores serão avaliados após a implantação da Associação Jesus na causa como cursos de culinária artesanal e artesanato. Estimular o escoamento em larga escala.
Nesse período os associados serão avaliados para deixar a associação caminhar sem uma interferência direta do fundador. Após um ano de associação um estudo sobre o potencial dos associados e efetivação de uma nova diretoria para continuar norteando juntamente com o fundador, e, priorizando integrantes que ao longo desse período demonstraram uma afeição para com a liderança.
A logomarca do projeto será a mesma da associação para intercalar a familiarização do público com o projeto missionário. Um dado elementar será que os objetivos da missão do Projeto Missiológico: Jesus na causa será conhecido pelo publico após o décimo mês dos passos iniciais da Associação Jesus na Causa.
Dentro do contexto de projeto missiológico e aproveitando-se do braço da associação momentos de evangelismo serão criados dentro da programação da associação sem ferir o estatuto da associação- para não afastar os mais céticos. Temas como aborto, gravidez precoce, drogas, casamento, noivado e namoro, terceira idade, poluição, doenças do século e religiosidade são sugestões fortes para promoção de minicursos e palestras com duração de 2-5 horas.
As palestras se darão através do desenvolvimento de UM TRABALHO VOLUNTÁRIO, NAS ESCOLAS PUBLICAS,FAZENDO PALESTRA SOBRE AS DROGAS. Drogas todo o mundo já tem uma ideia do significado da palavra droga. Em linguagem popular comum, de todo o dia droga tem um significado de uma coisa ruim, sem qualidade. Já em linguagem médicas, droga é sinônimo de medicamento. Atualmente, a medicina define droga como sendo “qualquer substância que é capaz de modificar a função do organismo vivo, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento”. COMO O ÁLCOOL, TABACO foi no ano de 1967 com a primeira edição do DSM-I(Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders) que o alcoolismo passou aser tratado como doença. Tabaco é uma planta cujo nome científico é NICOTIANA TABACUN e da qual é extraída uma substância chamada nicotina. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% dos fumantes tiveram o primeiros contato com o tabaco na escolar, na faixa etária entre 5 e 19 anos.
Paralelamente os associados que se tornaram o público mais ligado ao missionário também o verão em feiras livre, praças, praia, visitando as casas dos associados, cerimoniais como: aniversários, casamentos, fúnebres. Mediando o acesso de pessoas necessitadas aos hospitais, centro da cidade, escolas. Com essa proposta se busca uma aproximação imediata e sólida da comunidade.
Datas especiais dos associados e convertidos serão lembradas com chás, almoços, jantás, lembranças, alvorada – se fizer parte da cultura local, churrasco.
A associação, um braço intermediário do projeto também buscará promover mutirões para aquisição de materiais para construções de casa e embarcações dos associados e moradores carentes.
            A exploração do marketing será outro meio pelo qual o projeto usará como tripé. Todos os eventos promovidos pelo projeto e Associação serão divulgados horas ou até dias antes para atrair a atenção da comunidade.
A criação do blog associacaojesusnacausa será uma ferramenta de divulgação dos trabalhos da Associação Jesus na causa, bem como do Projeto. No blog a proposta estrutural: justificativa, apresentação, obejtivos, resumo do desenvolvimento e conclusão de cada minicurso serão resumidamente apresentados afim de despertar o interesse pela participação nos minicursos. As atividades desenvolvidas ao longo ações do projeto estarão expostas para o povo entenda a valorização dada a cada um como ser humano na construção de sua identidade.
Também haverá um espaço para curiosidades da cultura e economia local. Dados de interesse da população de diferentes temáticas serão abordados no blog.
Uma manchete semanal sobre um tema dinâmico com explicação a luz da Palavra de Deus. Explicação do que é Fé, Amor, ódio, perdão, casamento, rancor, paz, refúgio, segurança,esperança, determinação, morte, vida eterna, terremoto, peste, fome, guerra, sofrimento e outros sugeridos pelo publico leitos serão abordados a luz da palavra de Deus. E aos domingos um texto sobre como cuidar família será publicado.
O espaço do pescador será um tema forte. Aqui ele encontrará sugestões de apetrechos, cursos, filosofia da associação, escoamento e armazenamento do pescado.
Dicas de negócio e economia local também incrementarão o blog.
Pensando no público jovem um levantamento bibliográfico sobre propostas de cursos como skite, skiteboard, kitesurf e outras atividados esportivas estarão disponíveis no blog.
A filosofia do blog perpassará segundo as ideias e ideiais do projeto; inicialmente o blog será alimentado pelo fundador da associação mas assim que houver uma conversão e disponibilidade será transferido para um associado que estará gerido pelo projeto.
O blog será realinhado mensalmente onde sofrerá ajustamento estruturais até que ao final do 3ºano do projeto este esteja enquadrado com um teor puramente evangélico. Com fim de anunciar a Palavra de Deus.
Será criado no blog o espaço do Fundador, que após os primeiros 18 meses se tornará o espaço do pastor. Aqui palavra de fé, convite, apoio e estimulo para se viver uma vida feliz a luz da Palavra de Deus.
Um passo que cuidadosamente e após o primeiro contato com o público fará parte desse projeto como força secundária será o espaço dentro da programação da(s) rádios locais. Com um programa centrado sobre os temas dos minicursos. Onde serão apresentadas explicação para os problemas da sociedade moderna. E logo aos minutos finais do programa uma chamada para as atividades da Associação Jesus na causa, destacando dia, hora e local onde ocorrerá cada atividade.
Através de convênios e já com a sede própria da Associação Jesus na causa será fixado uma programação semanal para a terceira idade. Programação esta que buscará atrair e ocupar esse públicos para estimular o trabalho contínuo de sua coordenação motora através de pintura, artesanato, atividades corporais e confecção de peças de roupas com crochês, brinquedos e peças de quadros e outros artesanatos.
O projeto não se deterá na exploração da indústria como mecanismo de força secundária. Mas viabilizado pela associação os jovens terão acesso aos meios pelos quais conhecerão quais são os caminhos para se alcança o progresso dentro do tipo de comércio em que se vive no momento ou que se pretende vive a curto, médio ou longo prazo dentro contexto econômico vivido.
Contudo o empreendedorismo será fortemente motivado dentro da estrutura do projeto. O potencial de cada jovem será medido e explorado para o bem de sua família e grupo social. Para os jovens que dispuserem de potencial voltado para a pintura, artesanato, música, produção artística, comércio, tecnologia, produção, agricultura, pesca e pecuária serão motivados a ingressarem no mercado de trabalho através de estágios supervisionados dentro de sua especificidade e após cursarem cursos técnicos promovidos por instituições educacionais locais promotoras desses cursos. Sempre com incentivo, apoio da associação.
A questão das discussões sobre religiosidade será um tema que comporá um último plano do projeto, se necessário. Mas a Pregação da Palavra de Deus buscar-se-á se realizada em todo o tempo e diferentes modos mas sempre com objetivo de aproximar o homem a Deus de maneira sincera, real e plena. Deixando de lado os mitos e a religiosidade tão praticada nos últimos tempos.
As vias metodológicas serão muitas mas o Caminho será sempre o mesmo: Jesus. O Único que será anunciado em diferentes momentos mas com o mesmo propósito de fazer o homem se encontrar com Deus. As vezes a força secundária será destaque mas a força primária sempre brilhará.

ASSENTAMENTO
Segundo levantamento financeiro da mobília necessária para o assentamento de um família composta de 04 integrantes incluindo o chefe da casa(Pai), sua adjuntora e filhos alguns itens básicos de acomodação que são imprescindíveis dentro de um cenário familiar. Estes itens envolvem móveis desde do quarto de casal e crianças, cozinha, sala de janta, área e área de serviços.
Como não foi possível um levantamento dentro da economia local do país em estudo, Cabo Verde, precisamente na cidade de Praia, onde pretende -se realizar o assentamento, os preços em destaque foram elencados segundo a economia brasileira.
QUARTO CASAL
01
CAMA DE CASAL
350,00
 
COLCHÃO
300,00
 
GUARDA ROUPA
800,00
 
ESPELHO
60,00
QUARTO SOLTEIRO
 
 
 
400,00
 
COLCHÃO
250,00
 
COMODA
320,00
 
ESPELHO GRANDE
60,00
COZINHA
 
          FOLGÃO
500,00
 
GELADEIRA
       1.000,00
 
MESA DE REFEIÇOES
500,00
 
ARMÁRIO PARA LOUÇAS
1.000,00
ÁREA DE SERVIÇO
 
MÁQUINA DE LAVAR
800,00
 
TÁBUA DE PASSAR
40,00
SALA DE JANTA
 
SOFÁ
800,00
 
RACK
500,00
 
MESINHA DE CENTRO
200,00
 
ALMOFADAS
50,00
TOTAL
7.930,00
 
 
Quanto o translado destes integrantes em foco várias companhias áreas foram consultadas tais como TAM, VARIG, GOL,TAP,VIAJANET, LASTIMINUTE.COM, ATRAPALO,TACV, BRISTISH AIRWAYS,UNITED, KLM, IBERIALB. Sendo assim verificou-se que o translado até cabo verde precisava ser com escalas envolvendo a nossa comunidade:Cajueiro até a Capital do Estado: Natal, Natal – São Paulo, São Paulo – Cabo Verde.
No quadro os dados podem serem sistematicamente exemplificados da seguinte forma, segundo um passageiro adulto:
COMPANHIAS
ÁEREAS
SÃO PAULO/CABO VERDE (R$)
Por 4 pessoas
(R$)
ATRAPALO
4.773,00
17.909,20
BRISTSH AIRWAYS
-
-
GOL
6.661,00
26.644,00
IBERIALB
-
-
KLM
-
-
LASTMINUTE.COM
4,744,00
18,976,00
TACV
-
-
TAM
11,578,00
 45.312,00
TAP PORTUGAL
3.284,00
13.136,00
UNITED
17.663,00
70,652,00
VARIG
- 
-
VIAJANET
4.500,00
18.000,00
MÉDIA
7.600,42
30.089,85
 
Considerando um valor comercial de Natal São Paulo nas empresas aéreas que comumente fazem esse traslado Natal – São Paulo saindo com uma taxa média de R$ 600,00 por pessoa adulta e com a somatória total de quatro integrante o que eleva esse valor para R$ 2.400,00 agregando-se com o valor médio bruto de São Paulo – Cabo que é de 30.089,00 e R$ 80,00 de Cajueiro – Natal para todos os integrantes, as despesas com traslado na moeda corrente no país fica girando em R$ 32.569,00. Sabendo que esse valor precisara ser ida-volta a despesa total será fechada em R$ 65.138,00 para toda a família ir-vir de Cajueiro até Praia, capital de Cabo Verde.
 Para aquisição do passaporte o interessado precisa agendar através do site da Polícia Federal pelo sitehttp://www.dpf.gov.br/servicos/passaporte o pedido de passaporte e pagar uma taxa correspondente a R$155,00. De posse da Guia de pagamento e paga a taxa exigida faz-se necessário a visita no dia, hora e local agendado para descrição dos objetivos e outros dados pertinentes a investigação de cunho policial comum nesse tipo de tramitação turística.

Visto
VISTO DE ENTRADA EM CABO VERDE
1.    Preencher o formulário PEDIDO DE VISTO;
2.    Depositar o equivalente em reais à quantia correspondente no Banco do Brasil , em nome da Embaixada de Cabo Verde, Agência 3129-1 - Conta Nº 78241-6 , conforme o tipo de visto discriminado na tabela abaixo:
Tabela de emolumentos:
I. Visto de Turismo - Individual uma entrada- Curta duração até 30 dias - USD 59,16 ( Dólares americanos);
II. Visto de Negócios- Individual múltiplas entradas - com permanência de até 90 dias, USD 113,76 (Dólares Americanos),
*Comprovar o vínculo comercial com Cabo Verde;
III. Visto de Cortesia - Em se tratando de Viagem OFICIAL (comprovada através de Carta Convite feita pelo Governo de Cabo Verde), o pagamento deverá ser desconsiderado.
V. Para emissão de Visto com urgência será cobrada uma taxa adicional de 20%, sobre o valor em dólares.
1.    A conversão do Dólar para o Real é feita no próprio Banco do Brasil de acordo com o câmbio do dia.
2.    Enviar pelos correios em tempo hábil à Embaixada , o formulário DEVIDAMENTE preenchido e ASSINADO, o comprovante de depósito, o Passaporte COM VALIDADE de pelo menos seis meses e com folhas disponíveis, duas fotos 3x4 recentes , cópia do bilhete de passagem ou da reserva, declaração de rendimentos com o extrato bancário referente aos últimos seis meses e a Cópia do CPF.
3.    O Visto é concedido no prazo de 5 ( cinco) dias a contar da data de entrada do documento na Embaixada.
4.    Os passaportes oficiais e de serviço , estão isentos do visto de entrada por um período de permanência de até 90 dias.
5.    Em qualquer circunstância as taxas consulares não serão devolvidas.
Caso esteja fora de Brasília, depositar na mesma conta, o valor do SEDEX para volta
 
 
 
DADOS FINANCEIROS
O Projeto: Jesus na causa tem sua estrutura funcional baseado numa família brasileira sendo esta composta de 04 integrante, incluindo pais e 02 filhos. Assim muitos itens forma elencados e outros como vestuários, causados e perfumaria não serão destacados pois o projeto busca traçar um desenho superficial de coonhecimento de causa, estratégias, assentamento, dados financeiros, translado, forças de atuação evangelísticas sejam elas primárias e segundárias bem como outros elementos cruciais para uma família que precisa normalmente para se estabiliazar comum objetivo missionári em um país africano com uma cultura econômica bem similar a vida desde a nossa colonozação pelos conterrâneos portugueses o que sumariamente ocorreu com os caboverdenses.
Apesar de se tornar complexo descrever em linhas gerais despesas com o assentamento, traslado e itens como educação, saúde e alimentação. Pois alguns desses dados são de ordem de assentamento quanto outros precisam serem  vistos como gastos que se repetirão mensalmente não podendo, com precisão, ser fixado um valor de despesas levantadas para um mês.
Considerando esses e fatores subsequente a estadia de uma família dois quadros serão montados, o pimeiro abordará despesas “fixas”de locação e assentamento. No segundo despesas que são “rotativas” dentro do curso mensal em uma família que não demanda regalias além das básicas e peculiares ao objetivo a que se propõe: Evangelismo.Vejamos os Quadros 01 e 02.


QUADRO 1: Despesas fixas no assentamento e translado
 
DESPESA
Valor(R$)
 
Mobília
7.930,00
 
Translado
32.569,00
 
Passaporte
620,00
 
TOTAL
 
4.1119,00
 
 
 
 
 
 
QUADRO 2: Despesas rotativas dentro do curso mensal de uma Família Brasileira
DESPESA
Valor(R$)
 
Água
25,00
 
Alimentação
500,00
 
Aluguel de Casa
200,00
 
Educação
400,00
 
Higiene pessoal
200,00
 
Internet
60,0
 
Limpeza
100,00
 
Luz
50,00
 
Saúde
250,00
 
Telefone
100,00
 
Transporte (Manuntenção)
250,00
 
TOTAL
2.135,00
 


CONCLUSÃO
Um projeto missionário como esse nos leva a uma visão do quanto é gratificante obedecer a vontade de Deus. Ser missionário nos dias hoje requer muito esforço por parte aquele que teve a chamada de Deus, nesta se deve ter certeza da sua chamada e Visão. É importante que se entenda seu propósito e chamado para o campo missionário.
Uma visão bem definida é necessária para conservá-lo no caminho, porque sem isto seu trabalho fica configurado sem objetivo, já que existe uma instituição realizando uma avaliação sobre o sucesso das metas, identificando se estas estão sendo alcançadas.
A estratégia é um ponto que merece ênfase contínua dentro do processo, pois, apenas dizer que se vai pregar o evangelho é simplificar demais um procedimento muito complexo e revelará uma falta de planejamento.
O trabalho ajudou a inquietar o grupo sobre uma visão em torno do planejamento e execução do projeto. O planejamento passa ser visto como necessário para ter eficácia e sucesso. Por exemplo, como você vai pregar o evangelho? Através de cruzadas? Seminários? Rádio? Televisão? Escolas Bíblicas? Se você quer acertar o alvo sua pontaria deve ser certa, percebeu-se que antes de tudo devemos fazer o reconhecimento do campo de trabalho.
Após fazer o reconhecimento temos que construir confiança e assim conquistar a simpatia dos moradores através de trabalhos voluntários para que não haja desperdícios de recursos e tempo.
O Projeto ajudou a perceber que existe gigantes na terra que não nos querem por lá. Pobreza, religião, cultura, tradições, inflação desenfreada e preconceito racial são algumas das realidades que se encontram em abundância no campo missionário. A forma e atitude em direção a estes desafios e obstáculos determinam seu sucesso.
O que quer que seja que o Senhor nos chame para fazer por Ele, Ele trabalhará sempre conosco. Ele abrirá portas que precisam ser abertas e nos porá em contato com pessoas que nos assistirão na realização da sua visão. Proteção, benção e inspiração divina são apenas uma pequena parte de como Deus trabalha por aqueles que se dispõem a fazer. As escrituras dizem: “...não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito diz o senhor’’zc4:6.
A “vontade de DEUS é progressiva quanto mais se começa a andar na visão, mais se visualiza o foco. Quando se é obediente em seguir a vontade de Deus, sua visão para o ministério será pouco a pouco definida. O apostólo Paulo afirmou, e Lucas registrou,...Senhor, que queres que eu faça? E disse-lhe o Senhor: Levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito o que convém fazer.” (Atos 9:6)


BIBLIOGRAFIA

·         Cabo Verde, viagem pela História das ilhas (Almeida, Germano; Lisboa: Caminho, 2003)

·         Cabo Verde, cruzamento do Atlântico Sul (Mindelo: Rádio Nova, 1998)

REFERÊNCIAS

 





5.    As figuras 1-7 foram extraídas do site http://ptwikipedia.org/wiki/Fecheiro acesso em 29/11/2013.


 http://www.embcv.org.br/portal/modules/mastop_publish/?tac=Passaporte ACESSO: 18/12/2013